Falhas no projeto foram cruciais na destruição da estrada boiadeira diz secretária, ex-prefeito rebate acusações

Recuperação e correção da obra pode custar mais de 1 Milhão

Por DaHoraBataguassu 08/04/2021 - 07:42 hs

Falhas no projeto foram cruciais na destruição da estrada boiadeira diz secretária, ex-prefeito rebate acusações
Foto: Tiago Apolinário/DaHoraBataguassu

A reportagem do Da Hora Bataguassu procurou na manhã desta quarta-feira (7) mais informações a respeito da suposta falha ocorrida na obra de escoamento das águas pluviais, que acabaram por interditar completamente a Estrada Boiadeira, após abrir uma grande cratera e interditar por total toda a via.

Ainda na terça-feira (6), a reportagem também conversou com o ex-prefeito Pedro Arlei Caravina, que afirmou que a obra não possuía falha técnica, pois os estragos teriam sido decorrentes de falta de manutenção da atual administração, chegando a afirmar que o engenheiro que elaborou o projeto também contestava a situação e negou falhas. 

Sobre a voçoroca que se formou, Caravina afirmou que já existia no local uma parte degradada, ficando de encaminhar o material a redação do Da Hora Bataguassu, porém até o fechamento da matéria não havia se manifestado.

Foto: Tiago Apolinário/DaHoraBataguassu

A reportagem conversou com a atual secretária municipal de Infraestrutura, que também é engenheira, Wilma Lara, que reafirmou na manhã desta quarta-feira (7) que o projeto elaborado para a construção conteve sim falhas que contribuíram para ocasionar os estragos provocados na estrada.

Segundo Wilma, logo que assumiu a pasta, a equipe da Seinfra foi até o local, chegando a trazer outros engenheiros especialistas em obras de drenagem e que juntos levantaram diversos problemas, citando entre eles que as cabeceiras onde se encontravam os disipadores de águas seriam baixas. Perante esta situação realizaram o aumento na parede e também reforço no aterro, porém, já nas primeiras chuvas a água acabou por assorear e danificar a estrada. Com isso, foi realizada a reconstrução e também deixado o local novamente em perfeito estado, porém, novamente com as novas chuvas todo o sistema acabou por não resistir.

Foto: Tiago Apolinário/DaHoraBataguassu

A secretária ainda mostrou ao Da Hora Bataguassu o laudo técnico feito no local, e segundo ela, uma série de fatores contribuíram para que toda a estrutura fosse levada. De acordo com Wilma, a tubulação utilizada no sistema foi de um diâmetro menor para o fluxo de água que passa pelo local. Outro fator que também contribuiu é que o projeto deveria ter sido feito de uma forma em que o fluxo progredisse em menor velocidade.

Wilma contou que para a correção das falhas e recuperação, os gastos poderão chegar a mais de 1 milhão de reais. Ainda segundo a secretária, o laudo técnico foi entregue ao Governo do Estado, a fim de que solicitem caráter de urgência para que seja possível conter a voçoroca que se formou e que ela não ganhe ainda maior tamanho e que evite chegar até o “piscinão”, local que também deverá receber manutenção.

De acordo com a secretária, o ex-prefeito Pedro Arlei Caravina e atual secretário adjunto na Secretaria de Infraestrutura do Estado esteve em contato com ela ontem (06/) e informou que já estava com a documentação que foi entregue ao Governo do Estado para apreciação. 
Wilma salientou que foi informado a ele a real situação em que se encontra o local bem como as falhas que levaram a fazer com que a obra que foi entregue no final de dezembro, viesse a sofrer os sérios danos.

 

https://dahorabataguassu.com.br/noticia/cidades/falhas-no-projeto-foram-cruciais-na-destruicao-da-estrada-boiadeira-diz-secretaria-e/38927