Viúva de homem executado há três meses é morta em ataque na fronteira com Paraguai

Informações preliminares da polícia apontam que Maricela Rojas Giménez era constantemente ameaçada após a morte do marido.

Por g1 MS 14/01/2022 - 07:50 hs

Viúva de homem executado há três meses é morta em ataque na fronteira com Paraguai
Foto: Redes sociais/Reprodução

Maricela Rojas Giménez, de 26 anos, foi executada durante um ataque enquanto dirigia pela região central de Pedro Juan Caballero (PY), cidade vizinha à Ponta Porã (MS) - na região de fronteira entre Brasil e Paraguai. A polícia paraguaia confirmou que Maricela era viúva de Jorge Ortega García, executado de forma brutal, no dia 27 de setembro de 2021, também em Pedro Juan Caballero.

Conforme as primeiras informações da polícia do país vizinho, a vítima chegou a ser levada a um hospital paraguaio, nesta quinta (13), mas não resistiu aos ferimentos.

Há suspeita de que a vítima vinha sendo ameaçada de forma constante após a morte do marido. A polícia do Paraguai acredita que Maricela reunia provas das ameaças e estava se preparando para realizar denúncia.

Até o momento não se sabe os motivos do crime e ninguém foi preso. A polícia e Ministério Público do Paraguai devem encaminhar as investigações.

Morte do esposo

Jorge Ortega, de 28 anos, foi atingido com ao menos nove disparos, de uma arma de calibre alto - a polícia não soube precisar - em Pedro Juan Cabellero, no dia 27 de setembro de 2021.

Conforme as informações da polícia paraguaia, Jorge estava em uma rua, na cidade vizinha à Ponta Porã, quando uma caminhonete se aproximou da vítima e três homens desceram do veículo e iniciaram os disparos. O caso continua em investigação.

Outros crimes na fronteira

Na véspera do Natal de 2021, Ana Carolina Alhende Aquino, que estava grávida de nove meses de gêmeas, foi executada enquanto estava dentro do carro, em Ponta Porã (MS), cidade que fica na fronteira do Brasil com o Paraguai. Conforme as informações da Polícia Civil, a vítima estava no carro, junto do marido que seria o principal alvo do atentado.

Dias antes da morte, a vítima realizou ensaio de gestante com tema natalino, clique e veja as fotos.

O Boletim de Ocorrência detalhou que a grávida foi atingida com um tiro na cabeça. Após o crime, Ana Carolina teria sido levada com vida para o Hospital Regional de Ponta Porã. No hospital, os médicos realizaram uma cirurgia de urgência para a retirada das gêmeas, duas meninas, que nasceram de 36 semanas, saudáveis e estão fora de perigo, segundo informações da unidade de saúde.

No dia 29 de dezembro do ano passado, o vereador Hugo Leonardo da Silva Gonçalves, de 38 anos, foi executado em Sete Quedas, a 467 quilômetros de Campo Grande, na região de fronteira entre Brasil e Paraguai.

O corpo do parlamentar foi encontrado em uma estrada, a 10 quilômetros da área urbana, e tinha marcas de tiros de pistola. Testemunhas disseram à polícia que o vereador seguia de carro e foi perseguido. Ao perceber a situação, tentou entrar no Paraguai, mas perdeu o controle da direção do veículo, capotou e ainda foi atingido por tiros.

Rody Ariel Giménez Alvarenga, de 30 anos, foi executado com, ao menos, 26 tiros, em frente a um bar, em Pedro Juan Caballero (PY), cidade vizinha à Ponta Porã (MS). O atentado ocorreu no dia 8 de janeiro deste ano enquanto a vítima estava dentro de um carro de passeio, que foi completamente alvejado por tiros de metralhadora.

Conforme as informações do boletim de ocorrência confeccionado pela polícia do Paraguai, Rody foi alvejado enquanto saía do bar. Testemunhas disseram que a vítima estava acompanhada da namorada, que fugiu do local.

 

Viúva de homem executado há três meses é morta em ataque na fronteira com Paraguai | Mato Grosso do Sul | G1 (globo.com)