Família de piloto de motocross que morreu em acidente de trabalho em Portugal faz 'vaquinha' para trazer corpo para MS

Parte da família de Gusttavo Inácio que vive em Caarapó (MS), precisa de R$ 10 mil para translado de corpo e para passagens da filha e de esposa que ainda estão em Portugal.

Por G1 MS 13/08/2019 - 08:24 hs
Foto: Facebook/Reprodução

A família do piloto de motocross Gusttavo Inacio da Silva, de 26 anos, que vive no município de Caarapó, a 272 km de Campo Grande, está desesperada e faz uma "vaquinha" pela internet para trazer o corpo do rapaz que morreu no último sábado (10), em um acidente de trabalho na cidade portuguesa de Cantanhede. Para participar da “vaquinha” basta clicar aqui!

Conforme a mãe do rapaz, Édna Inácio, o filho estava há sete meses em Portugal e trabalhava com podas de eucalipto quando uma árvore caiu sobre a cabeça dele.

"A empresa conseguiu arcar o valor de translado de Portugal até São Paulo, agora precisamos do valor para trazê-lo para Caarapó e também para as passagens da esposa dele e da minha neta, de 1 ano de idade.

De acordo com Édna, um orçamento feito pela família para trazer o corpo do filho do Aeroporto de Guarulhos até a cidade sul-mato-grossense seria de R$ 5 mil, mais R$ 5 mil das passagens da nora e da neta.

Corpo de jovem está em Portugal e família pede ajuda para trazê-lo para o Brasil. — Foto: Facebook/Reprodução

A mãe do jovem conta que o consulado brasileiro em Portugal, só irá liberar o corpo, quando tudo estiver certo com a empresa confirmada que irá levar o corpo do Aeroporto Internacional de Guarulhos para a cidade do sepultamento.

"Até agora a esposa dele não viu o corpo. Falaram para eu cremar,mas eu quero da um sepultamento digno para meu filho. Eles foram muito claro, precisamos está com tudo certo para que alguém o traga para cá para a liberação lá em Portugal", explicou ao G1.

Segundo Édna, o filho teria a informado que o trabalho era perigoso, mas estava feliz, porque estava conseguindo dar uma vida melhor para a família.

"Apesar da correria, ele conseguiu juntar uma grana e levar a esposa e a filha dele para Portugal. Já tinha conseguido alugar uma casa e estava indo tudo bem. Eu estou tão desesperada que nesse momento só quero trazer o corpo do meu filho para o Brasil".

Segundo Édna, o filho sempre foi apaixonado por motocicleta. Antes de vir para Mato Grosso do Sul, a mãe conta que o filho competia em provas de motocross no estado de Rondônia. Em Caarapó, ele passou a participar de provas de outra categoria, o Velocross.

"Antes de ir para Portugal, ele vendeu a moto para ajudar na recuperação da filha que nasceu prematura. Ele estava juntando dinheiro para comprar uma moto nova e voltar para cá para investir na carreira de piloto de motocross, mas esse sonho foi interrompido", finaliza

Conforme a família de Gusttavo, em 2017, ele venceu o Campeonato Sul-mato-grossense de Velocroos na Categoria CRF 230 Original, realizado em Caarapó.

Por Flávio Dias, G1 MS