Portal 98FM

Publicidade de jogos online: entre o entretenimento e a responsabilidade

A presença de publicidade de jogos online de apostas tem preocupado autoridades, a legislação existente ainda é vaga e causa polêmica.

A indústria de jogos online vive um momento de ascensão meteórica, com milhões de jogadores e apostadores ao redor do mundo. Hoje somos inundados nas Tvs e na internet com propagandas de sites de apostas como esportes da sorte, betano ou Brazino jogo da galera.

Essa popularidade, no entanto, vem acompanhada de um debate acalorado: a publicidade de jogos online. Para muitos, as propagandas são ferramentas de entretenimento e divulgação, enquanto outros as criticam por seu potencial de induzir comportamentos de risco, como o vício em jogos e apostas.

O crescimento do mercado e as preocupações com a publicidade de jogos online

O mercado global de jogos online está em franca expansão, com projeções de alcançar US$ 203 bilhões em 2023. Essa explosão é impulsionada por diversos fatores, como a popularização dos smartphones, o aumento da banda larga e a crescente demanda por entretenimento digital.

No Brasil, o cenário não é diferente. Em 2022, o mercado de jogos online movimentou R$ 8,6 bilhões, um crescimento de 20% em relação ao ano anterior. Essa expansão, somada à facilidade de acesso aos jogos online, gera preocupações com o impacto da publicidade nesse segmento.

Argumentos a favor da publicidade de jogos online

Os defensores da publicidade de jogos online argumentam que ela é uma ferramenta legítima de divulgação e entretenimento. Afirmam que as propagandas podem informar o público sobre os jogos disponíveis, suas características e benefícios. Além disso, argumentam que a publicidade pode ser uma importante fonte de renda para as empresas de jogos, permitindo que elas invistam em inovações e no desenvolvimento de novos produtos.

Argumentos contra a publicidade de jogos online

Os críticos da publicidade de jogos online, por outro lado, argumentam que ela pode ser prejudicial para a saúde pública. Afirmam que as propagandas podem induzir ao vício em jogos e apostas, especialmente em crianças e adolescentes. Além disso, criticam o uso de técnicas persuasivas e apelativas nas propagandas, que podem levar os jogadores a tomarem decisões irracionais e gastarem mais do que podem.

Medidas para minimizar os riscos da publicidade de jogos online

Diante das preocupações com o impacto da publicidade de jogos online, diversas medidas têm sido tomadas para minimizar os riscos. No Brasil, o Conselho Superior de Cinema (CSC) e a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD) elaboraram um guia de boas práticas para a publicidade de jogos online.

O guia estabelece princípios como a autorregulação da indústria, a veiculação de mensagens de advertência e a restrição de horários para a exibição de propagandas.

Outras medidas importantes incluem a educação sobre os riscos do jogo online, o desenvolvimento de programas de prevenção e tratamento do vício em jogos e a criação de mecanismos de controle parental para restringir o acesso de menores de idade aos jogos online.

Conclusão

Bem caros leitores, como puderam analisar, a publicidade de jogos online é um tema complexo e controverso. É importante encontrar um equilíbrio entre o direito à informação e à liberdade de expressão das empresas de jogos e a proteção da saúde pública.

A autorregulação da indústria, a educação sobre os riscos do jogo online e a implementação de medidas de controle são ferramentas importantes para minimizar os impactos negativos da publicidade de jogos online.

Sair da versão mobile